Receba nossas novidades por EMAIL, é grátis !

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Hunted: The Demon's Forge


QuakeCon 2010: É sempre bom ter companhia na hora de dizimar alguns demônios!


Gears of Warcraft. É assim que fãs da Bethesda estão se referindo a Hunted: The Demon’s Forge na internet. Um jogo que mescla muita ação, tanto com uso de cobertura quanto sem, e um cenário de fantasia bem sinistro. Tudo permeado por um humor sutil e uma jogabilidade cooperativa — a qual forma o cerne da experiência, indubitavelmente.
Um é pouco, dois é bom
Durante a gamescom, o público pôde conferir um jogo muito mais polido do que as versões anteriormente mostradas — especialmente com relação à da E3. A Unreal Engine 3 foi muito melhor trabalhada e é possível ver gráficos bem desenvolvidos para o estágio em que o jogo se encontra (em versão Beta interna).
Quem nunca ouviu falar do título deve ter em mente que se trata de uma mistura de dois gêneros. Como já mencionamos anteriormente, os jogos de Gears of War e World of Warcraft serviram de inspiração — o primeiro com sua jogabilidade e o segundo com sua temática de fantasia característica. Mas se engana quem pensa que o jogo se limita a esses elementos.
Img_original
Existem dois personagens no título: Caddoc e Elara. O primeiro é um guerreiro tradicional e o segundo é uma arqueira. O que não quer dizer que sejam estereotipados. Em Hunted, Caddoc é cauteloso e reservado, enquanto Elara é abrasiva e impulsiva, sempre buscando ir de encontro às batalhas. Ambos têm uma coisa em comum, porém: um humor sutil, mas bastante acentuado.
É bom lembrar que a divisão de estilos de combate não é tão demarcada quanto parece — tanto um quanto outro personagem podem atacar de perto, de longe e soltar magias. O que difere é o nível de proficiência de cada um deles na forma de luta, já que Caddoc prefere arma e escudo enquanto Elara está mais confortável derrubando inimigos à distância com suas flechas.
Misturando as coisas
Img_originalO mais interessante do jogo é a existência de um modo cooperativo permanente. Seja com alguém jogando ao seu lado, pela internet ou mesmo deixando o segundo personagem ser controlado pelo computador, a ação sempre se desenrola com os dois protagonistas na tela. A interação entre os dois é um elemento chave da narrativa e da jogabilidade, e isso é muito bem retratado dentro dos sistemas do game.
A começar pelos diálogos, que sempre acabam acontecendo após algum acontecimento marcante: seja o início de um novo capítulo da saga, a execução de um inimigo particularmente importante ou mesmo uma firula realizada em batalha por um dos heróis.
E não para por aí. Existem combinações de ataques que podem ser realizadas para derrotar os oponentes, o que se torna ainda mais pronunciado na hora de enfrentar os chamados “chefes”. Enquanto Caddoc é eficiente em incapacitar os inimigos, distraí-los e arrebentá-los com seus golpes de armas brancas e escudo, Elara pode aproveitar as brechas para despachá-los com precisão cirúrgica ou manter outros atacantes longe de seu amigo.
Importante é notar que cada um dos personagens possui habilidades próprias, como as flechas de gelo da arqueira (que servem para reduzir as capacidades de movimentação dos adversários) e sua capacidade de encantar a arma do guerreiro. Saber tirar o máximo das interações decorrentes desse sistema é grande parte da diversão proporcionada pelo título.
Ainda há tempo para exploração
Além do foco óbvio na ação, os desenvolvedores querem também proporcionar uma experiência diversificada e dinâmica. Isso pode ser visto nos desafios e quebra-cabeças expostos nas demonstrações da QuakeCon e da gamescom. Neles, os protagonistas encontram determinadas pistas pelos cenários que servem de indicação sobre o que deve ser feito para progredir — ou mesmo para ganhar novas habilidades e itens.
Img_original
Tudo regado a uma boa dose de RPG, que adiciona mais uma camada a um título já extremamente abrangente — e que acaba por se revelar bastante inteligente, graças aos desafios bem elaborados e o sistema de combate que faz o jogador pensar. Julgando pelo que já vimos, o título não deve ser fácil, e será preciso refletir um pouco antes de agir, por mais que se trate de um game de ação.
Ainda há algum tempo de desenvolvimento antes do lançamento do game no ano que vem. Até lá, com certeza teremos mais detalhes a respeito de Hunted: The Demon’s Forge e sua fórmula curiosa. Para os fãs de hack ‘n’ slash, é hora de separar um segundo controle e exercitar o cérebro.

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários Sobre as matérias !

 

†Shinobi Wars† © 2008 . Design By: SkinCorner